Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

São Paulo, 26 de Março de 2015
Anuncie | Expediente | Conheça a Folha do Condomínio | Fale Conosco | Cadastre-se
BEM ESTAR
O impacto da luz
26/03/2015 08:40:48
Por: da Redação


     A iluminação pode destacar um aspecto positivo, camuflar um detalhe não muito interessante ou provocar sensações diversas num espaço ou no vestuário. Há algumas semanas, um certo vestido que, supostamente, mudava de cor, causou verdadeiro frisson nas redes sociais. Uns diziam que a peça era azul e preta, outros, que era branca e
Foto: Daniel Mansur
Foto: Daniel Mansur
Uma iluminação, que sugere maior aconchego
dourada e, assim, a discussão se estendeu e virou assunto no mundo todo.

Mais tarde o mistério foi desvendado e descobriu-se que tudo se tratava de exposição à luz. A esse respeito, profissionais de arquitetura a seguir ensinam como tirar melhor proveito da luz nos ambientes.

De acordo com a arquiteta Estela Netto, a polêmica envolvendo a cor da roupa é um bom exemplo de como a luz interfere na percepção das pessoas sobre determinados objetos e cores.

Na arquitetura e decoração, a luz também é muito importante, como bem destacou a profissional. “A iluminação é um dos pilares para o bom resultado de um projeto. Ela pode ser difusa, focada, mais aconchegante, mais estimulante, colorida ou com uma reprodução de cor mais fiel. Tudo vai depender da intenção do projeto”, disse.

Nos espaços residenciais podem haver vários tipos de iluminação de acordo com a função dos ambientes. Ela contou que as lâmpadas fluorescentes são ideais para as atividades domésticas como limpeza, estudo, e outros. “Já a luz indireta e focal é ótima para gerar efeitos decorativos, valorizar peças de arte e dar aconchego”, explicou outra arquiteta, Marina Dubal, do escritório DAD Arquitetura.

Nos espaços comerciais, a escolha da iluminação vai depender de uma série de fatores, como o tipo de negócio. Em um restaurante, por exemplo, o ideal é usar a iluminação para exaltar a comida. “Em um self service podemos utilizar a luz para fazer o alimento ficar mais atrativo, colorido, fresco e vibrante”, garantiu Estela.

Quem trabalha com produtos expostos precisa caprichar ainda mais na luz para atrair os olhares dos clientes. Por isso, a escolha correta da lâmpada é um diferencial. “As lâmpadas alógenas têm o brilho mais bonito, a melhor reprodução de cor e o foco mais cênico. No entanto, os LEDs vem sendo desenvolvidos para substituí-las, já que o gasto energético é bem menor”, sugeriu Marina.

A profissional deu ainda uma dica para evitar o efeito espelhado, comum em vitrines e que atrapalha os clientes a visualizarem os produtos. “Esse efeito se dá devido à alta incidência da luz externa no vidro durante o dia. Isso pode ser minimizado com uma boa iluminação feita, em geral, entre o vidro e o expositor/manequim”, ensinou a arquiteta.



Voltar

 
Queijos Regina
Sicon
* Geisa Ribeiro

* Geisa Ribeiro

O condomínio atualmente é regulado pelo Código Civil ...

*Eloisa Del Nery

Definitivamente, o brasileiro se tornou um povo pagador de ...
*Eloisa Del Nery
     
Pisos Salariais
ZELADOR
R$ 1132,63
CESTA BÁSICA
R$ 190,08
FAXINEIRO E DEMAIS
R$ 1037,31
ASCENSORISTA
R$ 1084,97
PORTEIRO OU VIGIA
R$ 1084,97
 
 
   
Anuncie | Expediente | Conheça a Folha do Condomínio | Fale Conosco | Cadastre-se
© Copyright 2009. Folha do Condomínio. Todos os direitos reservados.